Whatsapp

Matrícula via WhatsApp

Notícias

UniRitter é patrocinadora do EducaTRANSforma

Projeto tem como objetivo promover a capacitação gratuita e inserção de Pessoas Transgênero no mercado de trabalho de TI

Na última quinta-feira (05) foi lançado da primeira turma do EducaTRANSforma, do qual a UniRitter passa a ser patrocinadora. O movimento tem como objetivo promover, de forma gratuita, a capacitação profissional para pessoas transgênero (transexuais, travestis, não binários e intersexo) no mercado de trabalho de TI.

O Coordenador dos Cursos de Jogos Digitais e Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Felipe Frosi, salienta que, no próximo ano, serão realizadas diversas atividades, principalmente palestras, nas quais serão envolvidos todos os cursos de TI da UniRitter. Para o professor, “a inclusão não deve ser da boca pra fora. A proposta é que eles se apropriem do espaço da Universidade para que realmente as pessoas enxerguem esse público que ainda é tão estigmatizado. Para que tenham uma inserção real no convívio social, além da capacitação em TI”.

Frosi destaca a importância do debate dentro do meio acadêmico, “a intenção é fazer com que, na formação universitária ainda, a gente já tenha uma conscientização sobre todo esse contexto, tão violento e tão difícil, para as pessoas transexuais e transgênero”.

O SAJUIR também abraça a causa, oferecendo atendimento e encaminhamento gratuito dos processos, como troca de nome e identidade social. Atualmente, o Núcleo de Prática Jurídica oferece atendimento gratuito para a comunidade e está engajado em grandes causas como questões de gênero e sexualidade, novas tecnologias, causas LGBTQI+, questões raciais e direito à moradia.


Professores do Sajuir participaram do lançamento da primeira turma do projeto

Sobre o projeto:

O EducaTRANSforma surge como proposta de capacitação gratuita e inserção de Pessoas Transgênero (transexuais, travestis, não binários e intersexo) no mercado de trabalho de TI buscando ser uma ponte entre indivíduos/pessoas e a admissão trabalhista, ou seja, formando e capacitando essas pessoas para que passem a atuar na área de imediato.

Esse projeto nasceu baseado nas evidências de que a população transgênero encontra-se em situação de desemprego ou subemprego, devido ao preconceito da sociedade com relação às diversas identidades e expressões de gênero. Sendo assim, a proposta contempla a discussão, problematização, contextualização e aprendizagem de conteúdos previstos/vistos no mundo do trabalho buscando capacitar profissionais competentes para resolução de problemas locais e regionais.

Ao oportunizar esta interlocução entre pessoas que estão em situação de desamparo social, instituição de ensino e a tecnologia, deseja-se contribuir na elaboração de ideias, a formação de novas tecnologias e modificar o quadro atual da TI buscando pessoas diversas, multiplicadoras de conhecimentos adquiridos e desenvolvidos, além de diminuir a desigualdade social existente com relação a pessoas transgênero e mercado de trabalho.