Whatsapp

Matrícula via WhatsApp

Notícias

SAJUIR recebe honraria da AJURIS por boas práticas em Direitos Humanos

Reconhecimento reforça o trabalho e foco do Núcleo em questões de gênero e sexualidade, novas tecnologias, causas LGBTQI+, questões raciais e direito à moradia

Na noite desta quinta-feira (12), o Núcleo de Prática Jurídica da UniRitter – SAJUIR, recebeu uma das mais importantes honrarias da área. A Clínica de Direitos Humanos, em atividade desde 2011, com a participação de alunos dos cursos de graduação e mestrado em Direito, garantiu a menção honrosa do Prêmio AJURIS de Direitos Humanos 2019.

“A proposta da Clínica é proporcionar uma atividade jurídico-prática que produza impacto social e que seja importante para a consolidação dos direitos humanos. Assim, nossos alunos e alunas atuam em casos com relevância nacional e internacional, vinculados à defesa de Direitos Humanos”, explica a Advogada de Prática Jurídica do Núcleo, Vanessa Ramos.

O Prêmio AJURIS Direitos Humanos é uma premiação bienal que visa incentivar ações concretas de implementação, difusão e educação de Direitos Humanos por entidades ou organizações da sociedade civil comprometidas com a defesa dos Direitos Humanos no Estado do Rio Grande do Sul, premiando e reconhecendo publicamente as Boas Práticas em Direitos Humanos.

Para o Coordenador do SAJUIR, Nicolas Michelon, esse reconhecimento é de uma importância sem tamanho. “Com o SAJUIR 100% digital, queremos focar a equipe justamente em grandes casos”, salienta. O núcleo está engajado em grandes causas como questões de gênero e sexualidade, novas tecnologias, causas LGBTQI+, questões raciais e direito à moradia. “Já tivemos muitas conquistas importante, mas entendemos que é preciso mudar e estar atendo a essas novas causas”, finaliza.

Neste ano, foram inscritos dois projetos vinculados às Clínicas: o primeiro, vinculado à defesa do direito à moradia e migração, que consistiu na elaboração de dois pareceres para casos de Porto Alegre (Vila Nazaré e Vila Boa Esperança), e um amicus curae (amigo da corte) em um julgamento do caso de Carlos Andrés Galeso Morales e sua família contra seu país de origem, Colômbia, na Corte Interamericana de Direitos Humanos. O segundo é o Projeto em parceria com a ONG Themis de formação de Promotoras Legais Populares, lideranças comunitárias que atuam na defesa dos direitos das mulheres.

“Por causa dos projetos das Clínicas de Direitos Humanos ganhamos o reconhecimento da Ajuris, recebendo menção honrosa, como uma instituição preocupada e que promove os Direitos Humanos”, destaca Vanessa.

Vanessa e Nicolas, com o certificado de premiação da AJURIS