Whatsapp

Matrícula via WhatsApp

AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

O QUE É?

A Autoavaliação Institucional do Centro Universitário Ritter dos Reis (UniRitter) é um processo coletivo de reflexão sobre a sua prática, os seus compromissos com a sociedade e as suas diferentes atividades na busca permanente e sistemática de sua excelência acadêmica. Pretende, mediante um processo democrático e emancipatório, desencadear ações avaliativas que permitam explicar e compreender, criticamente, as estruturas e relações do UniRitter, possibilitando um questionamento sistemático de todas as suas ações, seus fins, seus meios, o ensino, a pesquisa e a extensão, bem como a gestão, a infraestrutura e as condições gerais de trabalho, propondo alternativas viáveis ao seu aperfeiçoamento.

A Política de Avaliação Institucional do UniRitter fundamenta-se no Paradigma de Avaliação Emancipatória, apresentando os seguintes princípios:

  • Participação Democrática
    Consiste em um processo democrático, que deve envolver os diferentes segmentos da comunidade acadêmica, de forma coerente com a filosofia de ação do UniRitter.

  • Busca da Transformação
    Consiste no processo de análise e crítica da realidade, visando a sua transformação. Busca apreender o fenômeno em seus movimentos e em sua relação com a realidade, objetivando a sua transformação, e não apenas a sua descrição. A transformação pretendida deve estar em consonância com os compromissos sociais e políticos assumidos pelos participantes do processo avaliativo.

  • Abordagem Qualitativa
    A Autoavaliação Institucional entendida em uma abordagem qualitativa, deve ser buscada na dinâmica integradora das diversas esferas e estruturas internas e na relação entre elas e a sociedade, através de procedimentos dialógicos e participantes e a utilização, predominantemente, de instrumentos abertos (entrevistas livres e questionários semiestruturados).

Para onde vai sua avaliação?

  1. O aluno preenche o questionário de avaliação.
  2. A equipe de Avaliação Institucional recebe e analisa os dados, preservando o anonimato do respondente; elabora o Relatório e apresenta considerações finais para apreciação e providências da Coordenação do Curso.
  3. Cada professor recebe os resultados da sua disciplina.
  4. A Coordenação do Curso recebe o Relatório com os resultados gerais do Curso e específicos de cada disciplina.
  5. A Coordenação do Curso analisa os resultados com os professores.
  6. A Coordenação propõe medidas para sanar dificuldades e aperfeiçoar os processos de ensino e de aprendizagem.
  7. O Relatório de avaliação é encaminhado para apreciação da Reitoria.
  8. A divulgação dos resultados e das medidas tomadas é feita através do site e de material impresso.

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

A Comissão Própria de Avaliação, responsável pela elaboração e desenvolvimento do Plano de Avaliação Institucional, bem como pela consolidação do Relatório de Autoavaliação tem a seguinte constituição:

Coordenador
  • Hermann Heinrich Husch

Docente

  • Ana Carolina Barreto Coelho
  • Éthel de Almeida Ribas
  • Roberto Villar Belmonte
  • Rosalvo Mario Nunes Miranda


Técnico Administrativo

  • Franciele da Silva Moraes
  • Leticia Rocha de Barros Ascoleze
  • Lidiane Caetano
  • Tailine Marques Vieira

Discente

  • Barbara Rosa dos Santos
  • Eduarda Keil
  • Karolyne Lemos Bitencourt
  • Michel Marcelo de Souza Ribeiro

Sociedade civil:

  • Cridriana Parenza - Coordenadora do setor de ensino da Secretaria Municipal de Saúde de Porto Alegre
  • Janaina Fontanive – Membro da comissão de educação jurídica OAB-RS
  • André Rabello dos Santos – Empresa Pública de Transporte e Circulação de Porto Alegre EPTC
  • Tiago Castilhos - Secretário-geral da OAB de Canoas

PLANO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

O Plano de Avaliação Institucional referente ao atual período, aprovado em reunião da CPA realizada dia 06/03/2009, foi elaborado considerando as dez dimensões previstas pelo SINAES, as potencialidades e as fragilidades apontadas no Relatório de Avaliação/2008.

OBJETIVOS GERAIS

  • Refletir sobre a Instituição na sua globalidade, contemplando as dez dimensões previstas em lei, através da sistematização de informações, analisando coletivamente os significados de suas realizações, desvendando formas de organização, administração e ação, identificando pontos fracos, bem como pontos fortes e potencialidades;
  • Produzir conhecimento sobre a realidade da Instituição, buscando compreender os significados do conjunto de suas atividades para melhorar a qualidade educativa e alcançar maior relevância social;
  • Privilegiar o conceito da Autoavaliação e sua prática educativa para gerar, nos membros da comunidade acadêmica, autoconsciência de suas qualidades, problemas e desafios para o presente e o futuro, estabelecendo mecanismos institucionalizados e participativos para a sua realização.

METODOLOGIA

A metodologia de trabalho desenvolve-se através de uma abordagem qualitativa, adotando procedimentos predominantemente dialógicos e participantes e a utilização de instrumentos abertos ou semiestruturados (entrevistas e questionários) e análise documental.

DIMENSÕES A SEREM AVALIADAS:

  • Missão x PDI
  • A política para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação, a extensão e as respectivas formas de operacionalização, incluídos os procedimentos para estímulo à produção acadêmica, às bolsas de pesquisa, de monitoria e demais modalidades.
  • Responsabilidade social
  • Comunicação com a sociedade
  • As políticas de pessoal, as carreiras do corpo docente e do corpo técnico-administrativo, seu aperfeiçoamento, desenvolvimento profissional e suas condições de trabalho.
  • Organização e gestão da Instituição
  • Infraestrutura física
  • Planejamento e avaliação
  • Políticas de atendimento aos estudantes
  • Sustentabilidade Financeira

ETAPAS DO PROCESSO AVALIATIVO:

  • Aprovação e Divulgação do Plano de Avaliação Institucional: para a comunidade interna e externa da Instituição.
  • Desenvolvimento do Processo Avaliativo: serão utilizados procedimentos específicos para cada dimensão a ser avaliada.
  • Elaboração dos Relatórios Parciais: serão elaborados relatórios específicos ao final de cada avaliação, sendo amplamente divulgados e analisados pelos segmentos envolvidos no processo.
  • Análise geral dos resultados e elaboração do Relatório Final: elaborado ao final do período avaliativo, expressará os resultados de caráter mais geral e abrangente da autoavaliação, apresentando análises, críticas e sugestões que objetivam subsidiar a elaboração de novas propostas de políticas institucionais e a revisão da atuação e da missão institucional.
  • Divulgação dos Resultados: para a comunidade interna e externa da Instituição.